Reiki



O QUE É O REIKI



Ninguém sabe ao certo explicar o que é e as opiniões dividem-se entre a energia do sol, do Universo e ainda do Amor. No que todos concordam é que é uma energia que cura: física, emocional, mental e espiritualmente. O ser humano é essencialmente um campo de "energia" (energia quântica). Essa energia é a Fonte da Vida. O Reiki parece "acordar" e potencializar a capacidade de autocura que há em todos nós, podendo ser usado em conjunto com qualquer outro método de tratamento e, por isso, está reconhecido pela "OMS" - Organização Mundial de Saúde.
A nível mundial, o Reiki é largamente utilizado em hospitais para reforço do sistema imunitário, no cambate ao stress, diabetes, esclerose múltipla, doenças reumatológicas, regeneração de tecidos ( queimaduras, recuperação de fraturas e pós cirurgias ), supressão da dor e dos efeitos secundários de tratamentos como a quimioterapia e radiação nos doentes oncológicos diminuindo, também, a ansiedade proporcionando-lhes, assim, mais conforto emocional e mais força para combater a doença.
O Reiki não está ligado a nenhuma religião, é uma energia que promove a expansão da consciência que nos coloca em contato com o mais profundo que há em nós e é praticado por Cristãos, Islamitas, Hinduístas, Budistas e também por Agnósticos e Ateus.
Neste método, a cura se efetua de dentro para fora. É a capacidade de curar a si mesmo que é estimulada da energização dos órgãos e centros energéticos da pessoa em tratamento. Pois é o seu baixo nível de energia que torna o corpo suscetível à doença e à mente, à infelicidade.
O Reiki é, portanto, uma terapia integrativa. Integra as emoções da pessoa em tratamento e o corpo à mente. É um caminho para o desenvolvimento interior, para o auto-conhecimento. Em última análise, seu objetivo é a felicidade em um sentido amplo.

REIKI - HISTÓRIA
Dr. Mikao Usui
Em meados do século XX, Mikao Usui, um monge cristão japonês que era diretor da Universidade Doshisha, em Kyoto - Japão, procurou a origem do método de cura de Jesus Cristo e Buda, encontrando-a entre os vestígos antigos da cultura primeira de Shiva, nos ensinamentos esotéricos da Índia. Começou então a história do REIKI, hoje dita tradicional. Tudo se desencadeou quando os alunos de Usui lhe pediram que demonstrasse o método de cura de Jesus. Usui, perante a dificuladade de encontrar uma demonstração elucidativa, iniciou então uma investigação que durou dez anos.
Quando as autoridades cristãs do Japão lhe disseram que o tema da cura não devia sequer ser assunto de discussão, Usui focalizou a sua busca no Budismo. Os monges budistas disseram a Usui que o antigo método de cura espiritual fora perdido, e que a única forma de se aproximar dele seria por intermédio dos ensinamentos budistas, o "Caminho da Iluminação".

O NASCIMENTO DO REIKI
Mikao Usui, acabou por fixar residência em um mosteiro Zen-budista. Aí encontrou os textos que revelavam a fórmula de cura, que agora já podia ler no original em sânscrito - antiga língua Indiana, a língua dos Vedas , só que estes não indicavam como utilizar para captar e ativar a energia. A ausência desta informação era intencional para manter tão poderosos ensinamentos longe de mãos não preparadas para conhece-los e usá-los corretamente. Hawayo Takata ( a quem se deve a implantação do Reiki nos E.U.A.), narra isso no livro, The History of Reiki as Told by Mrs. - Takata, p.4:
"Ele estudou a versão sânscrita e, mais tarde, depois de estudos profundos, encontrou a fórmula. Clara como o dia. Nada difícil, mas muito simples. Como dois e dois são quatro... E então disse: "Muito bem, eu encontrei-a. Agora, tenho que a interpretar porque foi escrita há 2500 anos. Mas tenho que passar pelo teste".
O teste foi um período de três semanas - 21 dias - de meditação, jejum e orações no monte Kuramayama, no Japão. Mikao Usui escolheu o local para a meditação e reuniu 21 pedras pequenas para marcar o tempo, retirando uma pedra no final de cada dia. Na última manhã, um pouco antes de clarear o dia, Usui viu um projétil de luz vir na sua direção. A sua primeira reação foi fugir, mas logo decidiu aceitar o que emergia da sua meditação, ainda que isso o levasse à morte. A luz atingiu o seu terceiro olho e Usui perdeu a consciência. Então, viu "milhões e milhões de bolhas de arco-íris" conforme relata Hawayo Takata, e finalmente, os símbolos do Reiki, como que projetados numa tela. Logo se seguiu a informação de como ativar a energia de cura de cada um deles.
O mestre Japonês deixou então o monte Kuramayama sabendo curar como Buda e Jesus o tinham feito. Descendo a montanha, aconteceu o que é tradicionalmente conhecido como "os quatro milagres".
Primeiro: Feriu-se num dedo do pé enquanto andava; instintivamente, sentou-se e pôs as mãos sobre eles. As suas mãos ficaram quentes e o dedo curou-se;

Segundo: Chegou a uma casa que servia peregrinos, no pé da montanha, pediu uma refeição completa (algo nada recomendável depois de jejuar durante 21 dias), e digeriu normalmente;

Terceiro: Como a mulher que o serviu sentia dor de dentes, colocou-lhe as mãos sobre a face e a dor desapareceu;

Quarto: Quando voltou ao mosteiro encontrou o diretor acamado com uma crise de artrite e também o curou.

Usui deu à energia de cura que redescobrira o nome de Reiki, que quer dizer Energia da Força Vital Universl. Instalou-se em seguida num bairro pobre de Kyoto, e durante anos ministrou sessões de cura aos mendigos da cidade. Depois de os curar, pediu-lhes para começarem uma vida nova em vão. Muitos ficaram até zangados porque, tendo sito curados, já não podiam ganhar a vida como antes e tinham de trabalhar. Esta experiência de Usui é usada como justificativa para os altos preços cobrados hoje em dia pelos cursos e tratamentos de Reiki, evocando que as pessoas não dão valor à cura se não tiverem de  pagar


Chujiro Hayashi
Mikao Usui tornou-se peregrino, levando o Reiki e andando a pé pelo Japão, carregando uma tocha e dando aulas. Dessa forma, encontrou Chujiro Hayashi, um oficial aposentado da Marinha. Hayashi recebeu de Usui os ensinamentos de Mestre de Reiki em 1925, com 47 anos, e tornou-se o seu sucessor. Usui morreu em 1930, tendo formado dezesseis ou dezoito Mestres em Reiki (as fontes divergem neste ponto), embora nenhum outro, exceto Hayashi, seja mencionado por qualquer fonte. Ao longo da vida, Chujiro Hayashi formou dezesseis Mestres. Abriu uma clínica em Tóquio onde agentes de cura trabalhavam em grupo com os pacientes internados. Os curadores da Clínica iam também à casa das pessoas incapacitadas. Em 1935, Hawayo Takata foi à clínica de Chujiro Hayashi, em Shina No Machi, para se curar.


Sra. Hawayo Takata
                                                                          
Hawayo Kawamuru ( Takata, mais tarde ), nasceu em 24 de Dezembro de 1900, numa família de contadores de abacaxi, na ilha de Kauai, Havaí, em Hanamaulu. Por ser pequena e frágil demais para o trabalho na plantação, passou por vários empregos enquanto ainda estudava em escolas públicas. Ajudou a ensinar crianças mais jovens e trabalhou numa fonte de água gaseificada. Assim que saiu da escola, ofereceram-lhe trabalho na grande e rica plantação do proprietário da casa. Trabalhou nesse lugar durante 24 anos como governanta e guarda-livros, uma posição de grande responsabilidade. Ali, conheceu e casou-se com o tesoureiro da plantação, Saichi Takata, em 1917, foram felizes e tiveram duas filhas.
Em Outubro de 1930, Hawayo Takata ficou viúva, e com duas crianças pequenas. Passou a ter graves problemas de saúde, esgotamentos nervosos e uma doença de fígado que exigia uma cirurgia que seria de alto risco devido a problemas respiratórios. Em 1935, Takata deslocou-se a Tóquio para informar os pais da morte recente de sua irmã. Mais tarde, foi internada no Hospital Maeda, em Akasaka. Foi marcada uma cirurgia após diagnóstico de um tumor e de cálculos biliares. Na noite anterior à intervenção cirúrgica, Takata ouviu uma voz que disse: (a operação não é necessária); quando estava já na mesa de cirurgia, ouviu de novo a voz e questionou o cirurgião sobre se não haveria outro método para alcançar a cura. O médico respondeu-lhe:"Sim, se puder permanecer no Japão o tempo necessário". Falou-lhe então da Clínica de Reiki de Chujiro Hayashi; Takata foi de seguida lá internada e, em quatro meses, estava completamente curada no nível físico, mental e espiritual.
Takata, tão maravilhada ficou, que pediu que  passassem os ensinamentos. De início isso foi-lhe recusado, não por se mulher, mas por viver nos Estados Unidos. Na altura, Hayashi não queria que o Reiki fosse praticado fora do Japão, mas perante a insistência de Takata, acabou por ceder. Hawayo Takata, recebeu os ensinamentos de Reiki I na primavera de 1936, e juntou-se aos agentes de cura que trabalhavam na clínica. Em 1937, recebeu os ensinamentos do Reiki II, voltando de seguida ao Havai onde inaugurou a sua primeira Clínica de Reiki, em Kapaa, sendo bem sucedida no seu trabalho. Obteve então uma licença como mesoterapia para se proteger do ponto de vista legal.
Takata recebeu os ensinamentos do Reiki III, a 22 de Fevereiro de 1938. Hayashi passou-lhe um certificado e frisou que ela não deveria passar os ensinamentos sem cobrar. Em 1939, Takata abriu o segundo Centro de Cura Reiki em Hilo. Em 1941, Takata acordou certa manhã e viu Hayashi, ao pé da sua cama. Entendeu que ele a chamava e embarcou no primeiro navio para Tóquio. Quando chegou à clínica de Hayashi, a esposa deste, Chie Hayashi e outros mestres Reiki estavam presentes.
Chujiro Hayashi transmitiu-lhes então que uma grande guerra estava para acontecer e que a Clínica seria fechada. Temendo que o Reiki se perdesse para o mundo, escolheu perante todos, Takata como sua sucessora. A 10 de Maio de 1941, na presença dos alunos, fez o seu coração parar por meios e metas psíquicas e morreu, recusando-se a participar na guerra em que teria de combater forçosamente por ser oficial da Marinha.
Foi graças a Takata que o Reiki continuou. Levou-o primeiramente para o Havaí, espalhou-o pelo resto dos Estados Unidos e, finalmente, fê-lo chegar ao Canadá e à Europa. Viveu até aos 80 anos, apresentando sempre uma aparência jovial. Treinou centenas de pessoas no sistema de cura Reiki. Faleceu em 11 de Dezembro de 1980.
Desde a morte de Hawayo Takata, o Reiki sofreu muitas mudanças no Ocidente. Phyllis Furomoto, a sucessora de Takata, e sua neta, é denominada "Grande Mestre do Reiki Tradicional Usui". As técnicas e métodos de ensino sofreram alterações e vários ramos do Reiki evoluíram. O que é fato, é que todos os métodos funcionam e todos derivam dos ensinamentos de Hawayo Takata.

ALTERAÇÕES NA HISTÓRIA DO REIKI
Quando o Reiki foi introduzido no Ocidente foram introduzidas algumas alterações na história; algumas, foram alterações "cirúrgicas" e de extrema utilidade para que o Reiki se tivesse espalhado por todo o planeta, tal como o Dr. Usui desejava, outras  perfeitamente dispensáveis. As principais alterações foram as seguintes:

1) "O Reiki é oriundo do Tibete" - O Reiki tem como base o trabalho com uma energia cósmica universal a ao longo dos tempos, muitas culturas têm trabalhado com energias cósmicas. Isso não significa que qualquer trabalho com energias cósmicas universais, sejam Reiki. O Reiki foi criado por Mikao Usui na segunda década do século XX e tal como Usui escreveu no seu manual (descoberto por Frank Arjava Petter): "O meu Usui Reiki Ryoho é original, não existe nada como este método no mundo. Por isso gostaria de mostrá-lo ao público para que todos possam beneficiar dele e, espero, para que todos alcancem a felicidade. O meu Reiki Ryoho é um método original baseado no poder intuitivo existente no universo. Através deste poder o corpo torna-se mais saudável, a vida torna-se mais feliz e atinge-se a paz de espírito. Atualmente as pessoas necessitam de progredir e de reconstruir a sua vida exterior e interiormente. Deste modo, divulgo o meu método para ajudar todas as pessoas com doenças do corpo e da mente". Parece-nos, que a introdução do Tibete terá nascido devido a uma onda de simpatia por aquele povo, uma onda que faz muito sentido porque o povo tibetano é na realidade admirável, mas, que em nada contribui para um  sistema que é completo e original.

2) "O Dr. Usui era Professor Universitário de Teologia" - Um dos primeiros mestres a tomar a iniciativa de ir ao Japão para investigar as origens do Reiki foi o norte-americano William Rand, o qual, não encontrou registros sobre Mikao Usui nem na Universidade de Doshisha no Japão, como diretor, professor ou aluno, nem da sua presença na Universidade e Chicago, nem de Usui ter recebido qualquer diploma de qualquer das universidades. Rand, no seu livro "Reiki The Healing Touch, First and Second Degree Manual, Southfield, Vision Publications, 1991", mostra faxes recebidos das duas universidades a corroborar estes fatos. Segundo sabe-se, Usui não tinha qualquer grau universitário e o título de "Doutor" ter-lhe-á sido atribuído pelos seus alunos de Reiki, devido ao enorme respeito que lhe tinham e também pela bênção que deixou à humanidade que já proporcionou tantas e tantas curas.

3) "O Dr. Usui era um Padre Cristão" - Sabe-se hoje que Usui teve diversas profissões e que as suas ligações com religiões terão passado pelas duas mais representativas do Japão, o Xintoísmo e o Budismo. Outro investigador, Frank Arjava Petter, descobriu também que o aspecto cristão da história, foi introduzido no Ocidente pela Senhora Takata para que os americanos aceitassem o Reiki, quando a Sra. Takata "trouxe" o Reiki para o Ocidente vivia-se a 2º Guerra Mundial, com o eminente envolvimento dos E.U.A. e Japão na mesma e introduzir um sistema de cura japonês nos E.U.A. sem moldar determinados aspectos talvez fosse complicado. Contudo, hoje entende-se a sua posição e sabe-se que Mikao Usui era budista e foi sepultado no Templo Saihoji em Tóquio - um templo de pura tera Budista - e não Cristã.

4) "O Dr. Usui viu os símbolos no último dia do retiro de 21 dias" - Constam-se histórias fantásticas acerca do aparecimento dos símbolos ao Dr. Usui no seu retido de 21 dias, como por exemplo: "veio uma luz do céu que lhe bateu fortemente no terceiro olho que o deixou a ver milhões de bolas de cores arco-íris; depois veio uma luz branca e intensa e os símbolos surgiram-lhe à sua frente, em dourado". Sabe-se hoje que tal não se passou assim; os símbolos foram dos últimos elementos a serem introduzidos por Mikao Usui no seu sistema, devido ao fato dos seus alunos terem alguma dificuldade em conseguirem ser Reiki. Entretanto o misticismo criado à volta dos símbolos serviu e serve muitos interesses, desvirtuando em alguns casos a pureza do Reiki. Hoje, vivemos no século XXI, num contexto político, econômico e social completamente distinto de à 100 anos atrás e não há necessidade de ocultar verdades ou inventar verdades, mas sim, apresentar o Reiki tal como ele é: simples!



"Nestes tempos de mudanças na Terra, o Reiki faz parte da cura da Humanidade e do Planeta. Ele pertence a todos. É o maior potencial de bondade que pode ser dado às pessoas deste Planeta. Nas culturas ancestrais, o Reiki era Universal e agora chegou o momento de levar o Reiki a todos, de curar a Terra, as pessoas e os animais. Não temos tempo para desculpas nem atrasos. O Reiki ajuda-nos a viver com compaixão, harmonia e união. Reiki é o nascimento de um novo futuro para a Humanidade.

Diane Stein

SIMBOLISMO DO REIKI

A palavra Reiki pode ser escrita com ideogramas japoneses, que conforme os algarismos romanos não exprimem letra ou som e sim uma idéia. Segundo o contexto, esses ideogramas podem ter várias leituras com os seguintes significados:
1 - Chuva maravilhosa de energia vital;
2 - Chuva maravilhosa que dá vida;
3 - A idéia de algo, que vem do cosmos e que seu encontro com a terra produz o milagre da vida;
4 - Chuva maravilhosa que produz o milagre da vida;
5 - A comunhão de uma energia superior com uma terrena, porém que se pertencem mutuamente;
6 - Uma energia maravilhosa que está acima de todas as demais e além disso está em você e que você pertence a ela.

A COR
A cor simbólica do Reiki é o verde que é a cor da cura, assim como do amor, haja visto sua correlação com o Chakra cardíaco, responsável pelo nosso amor incondicional e sistema imunológico.
Seus ideogramas são feitos em dourado, pois essa é a cor cósmica: Reiki é luz que nos leva de volta à grande luz.

O BAMBU

Da natureza, o Reiki tomou como símbolo o bambu, que em sua simplicidade, resistência ao vento (quando enverga), vazio, retidão e perfeição, pode representar, metaforicamente, o funcionamento da energia. O bambu é flexível, apesar de forte; ele reverencia o vento que o toca soprando, ele se dobra à vida mostrando-nos que quanto menos um ser se opuser à realidade da vida, mais resistente se tornará para viver em plenitude. O bambu é forte, servindo para construção de embarcações, móveis e construções, ou seja, todos que receberam o Reiki tendem a ficar fortes e resistentes.
Entre um nó e outro, o bambu é oco, vazio; como vazio é o espaço entre o céu e a terra, representando os que escolheram ser canais de Reiki, os quais passam a funcionar nesse vazio como verdadeiros "tubos" direcionadores de energia cósmica. A retidão sem igual do bambu, assim como seus nós, os quais simbolizam os diferentes estágios do caminho, simboliza o objetivo do nosso itinerário interior, o nosso crescimento e a evolução em direção à meta.
No Japão, o bambu é uma planta de bons auspícios, ou sorte; pintar o bambu é considerado não só arte como também um exercício espiritual. Em algumas culturas africanas o bambu é um símbolo de alegria, da felicidade de viver sem doenças e preocupações e é interessante observar como essa simbologia tem a ver com os princípios do Reiki.

PRINCÍPIOS DO REIKI

Somente por hoje,
Não se preocupe
Somente por hoje,
Não se aborreça
Somente por hoje,
Honre seus pais, mestres e amigos
Somente por hoje,
Trabalhe honestamente
Somente por hoje,
Demonstre gratidão para com todos os seres vivos



OS BENEFÍCIOS DO REIKI

Reiki é um método natural de terapia complementar, que visa ativar o processo de cura;
Reiki pode ser aplicado juntamente com outras técnicas de terapias naturais;
Reiki não conflita com os procedimentos médicos porque serve como tratamento complementas;
Reiki potencializa a absorção de remédios, neutralizando efeitos colaterais;
Reiki pode ser aplicado em animais, plantas, comidas, sucos e águas;
Reiki ajuda a eliminar o stress diário que fica acumulado pela correria da vida, porque relaxa no decorrer de sua aplicação;
Reiki age energeticamente sobre as glândulas, reequilibrando o metabolismo do corpo físico;
Reiki revitaliza o sistema imunológico;
Reiki atua sobre o campo áurico alinhando os centros energéticos do corpo emocional;
Reiki dissolve pensamentos acumulados no corpo mental;
Reiki religa o Ser ao Divino !!!

ORIENTAÇÃO AO PACIENTE
O paciente capta a energia Reiki na medida de suas necessidades, sendo o terepeuta Reiki apenas um canal transmissor. Reiki é uma energia inteligente que é automaticamente direcionada para onde for mair prioritário e para onde for a causa do desequilíbrio.
Não se pode prever quanto tempo será necessário para a melhora do paciente, nem tão pouco dar qualquer garantia de cura, mas como o Reiki desbloqueia o fluxo de energia, ativa o funcionamento de células, glândulas e órgãos, promovendo profunda desintoxicação de todo o organismo, na maioria dos casos observados, as pessoas costumam sentir melhoras ou alívio já nas primeiras aplicações.
O tratamento Reiki não dispensa o tratamento médico, psicológico ou outros.
No início do tratamento é comum que ocorram reações, e o paciente pode sentir intensificação dos sintomas, tonturas, dores de cabeça, diarréia, vontade de chorar, etc. A liberação de toxinas corporais e energéticas é normal e saudável e deve passar após 12 ou 24 hóras da aplicação.
Os males crônicos requerem mais tempo de tratamento que os males agudos, porque, aquilo que levou meses ou mesmo anos para se instalar, requer mais tempo para se dissolver. Em casos de problemas muito graves, recomendamos que o paciente ou alguém da família seja sintonizado no Reiki e aprenda a aplicar no paciente diariamente, o maior tempo possível.

Assista matéria sobre o Reiki em nossa página "Roberto Carlos fala sobre o Reiki", vídeos maravilhosos sobre o Reiki.