sábado, 5 de fevereiro de 2011

Kundalini



      O QUE É KUNDALINI         


Kundalini é uma energia física, de natureza neurológica e manifestação sexual. O termo é feminino, deve ser sempre acentuado e pronunciado com "i" final longo. Significa serpentina, aquela que tem a forma de uma serpente. De fato, sua aparência é a de uma energia ígnea, enroscada três vezes e meia dentro do Muladhara chakra ( Chakra Básico ), o centro de força situado próximo à base da coluna e aos órgãos genitais. Enquanto está adormecida, é como se fosse uma chama congelada. É tão poderosa que o hinduísmo a considera uma deusa, a Mãe Divina, a Shakti Universal. Todo o sistema do Yôga, de qualquer ramo, apóia-se no conceito da kundalini.
De fato tudo depende dela conforme o seu grau de atividade - a tendência do homem à verticalidade, a saúde do corpo, os poderes paranormais, a iluminação interior que o arrebata da sua condição de mamífero humano e o catapulta em uma só vida à meta de evolução sem esperar pelo fatalismo de outras eventuais existências.
Se você já tiver tido explicações místicas ou confusas sobre a kundalini, vou simplificar isso.
O conceito freudiano de libido e o reichiano de orgônio chegaram bem perto do princípio e anatomia da kundalini no Yôga Antigo. Se você quiser um termo leigo, mais compreensível, pode traduzir kundalini simplesmente como sexualidade. Freud e Reich tentaram domá-la para fins terapêuticos. Como nenhum dos dois possuía a iniciação de um Mestre nesses mistérios, ambos fracassaram e deixaram à posterioridade uma herança meramente acadêmica de teorias sobre o assunto, sem grandes resultados práticos.
A energia da kundalini responde muito facilmente aos estímulos. Despertá-la é fácil. Um exercício respiratório que aumente a taxa de comburente é suficiente para inflamar o seu poder. Um bija mantra corretamente vocalizado, é capaz de movimentá-la. Um ásana que trabalhe a base da coluna posiciona-a para a subida pela medula. Uma prática de maithuna pode deflagrá-la. Basta combinar os exercícios certos e praticá-los com regularidade.
Já que despertar a kundalini não é difícil, não mexa com ela enquanto não tiver um Mestre. E quando o encontrar, não a atice sem a autorização dele. Difícil é conduzí-la com disciplina, ética e maturidade.
SwáSthya, o Yôga Antigo, vai fundo nesse trabalho, levantando a kundalini da base da coluna até o alto da cabeça, através dos chakras, ativando-os posteriormente, despertando os siddhis e eclodindo o samádhi.

Fonte: Chakras, kundalini e poderes paranormais - Mestre DeRose - Ed. Nobel